URGENTE: OMS declara pandemia

Imagem
A Organização Mundial da Saúde (OMS) declara uma pandemia do coronavirus, num reconhecimento de que a mera estratégia de conter a proliferação da doença já não seria suficiente. A classificação significa que uma transmissão recorrente está ocorrendo em diferentes partes do mundo e de forma simultânea.
Na prática, ao anunciar a pandemia, a agência de Saúde indica que governos devem trabalhar não mais para apenas conter um caso. Mas atuar para atender uma parcela da população mais ampla e vulnerável. Estratégias direcionadas apenas para identificar casos e isolar pessoas precisam ser trocadas para um plano sanitário que possa focar em evitar mortes.

A mudança no status não significa que a taxa de letalidade tenha sido incrementada. Mas que o risco de um contágio seria maior. Em apenas uma semana, o número de países afetados passou de 45 para mais de 110.

(Da coluna de Jamil Chade no UOL)

Rombo de R$ 50 bilhões nas contas

O rombo de R$ 50 bilhões nas contas públicas obrigou o presidente Jair Bolsonaro cometer o mesmo crime de responsabilidade fiscal que o governo Dilma Rousseff cometeu. A falta de recursos para pagamentos de compromissos inadiáveis do governo comprometeu à folha de pagamento.

Paulo Guedes solicitou ao presidente Bolsonaro o "remanejamento" de R$ 50 bilhões entre contas para cumprimento de metas. Se o dinheiro não fosse retirado de uma rubrica para outra seria impossível para o governo manter em dia sua agenda de prioridades.

A atitude Bolsonaro foi alvo de duras críticas. A oposição sinalizou que pedirá ao Tribunal de Contas da União (TCU) que revise a decisão. Sob alegação de crime de responsabilidade fiscal, os parlamentares que fazem oposição ao governo alegam que a ex-presidente Dilma foi cassada justamente por esse motivo.




Comentários

MAIS LIDAS

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Mamata | General corta contratinho de R$ 30 milhões para manter jornalistas no exterior

VÍDEO. Tratores com jatos lançam fezes sobre Parlamento francês