OMS emite alerta ao mundo

Imagem
“Temos que fazer todo o possível para nos prepararmos para uma potencial pandemia.” O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, assumiu nesta segunda-feira que muito provavelmente o que hoje é uma epidemia, o Covid-19 ou coronavírus de Wuhan, transforme-se em algo maior. “Não podemos paralisar o mundo, e não é realista dizer que é possível parar a transmissão entre os países. Provavelmente haverá epidemias em vários, mas pode ser contida”, afirmou Michael Ryan, diretor do Programa de Emergências do organismo internacional.
O cenário mudou rapidamente em poucos dias. Passou-se de uma situação em que se observava como os casos na China pareciam ser contidos e como no resto do mundo as infecções eram muito escassas a outra com surtos descontrolados na Itália, na Coreia do Norte e no Irã. Ghebreyesus ressaltou que os surtos podem ser contidos e que o cenário continua sendo de epidemia, tanto pelo número de casos como de mortes fora da China. Ao mesmo…

Israel e EUA são acusados de desenvolverem armas biológicas

O jornalista Juan Carlos Gumucio, em um artigo publicado no diário El País, da Espanha, denunciou que Israel tinha planos para a criação de uma arma biológica desenhada com a finalidade de eliminar só certos tipos de árabes, citando um informe do diário The Sunday Times.

Segundo a versão do semanário britânico, cientistas israelenses envolvidos no desenvolvimento da chamada bomba étnica tratam de aproveitar as descobertas médicas que permitem identificar os genes. 

"A intenção é utilizar os vírus e certas bactérias para alterar o código genético” nas células de alguns grupos, assegurava o periódico britânico, que precisava que os cientistas do Instituto Biológico de Nes Tziyona, principal centro de pesquisas secretas para o desenvolvimento de armas químicas e biológicas em Israel, estavam envolvidos na pesquisa. 

Nessa época, um informe confidencial do Pentágono, publicado em 1997, dizia que era possível manipular agentes biológicos para produzir armas letais, ou seja, agentes patogênicos com fins étnicos, segundo manifestou William Cohen, então secretário de Defesa dos Estados Unidos.

A situação recobra atualidade com um artigo denúncia publicado pelo jornalista Rodrigo Bernardo Ortega em meios alternativos: "A guerra genética: O novo cenário de confrontações dos EUA”, que alerta que Washington passou "ao desenvolvimento de sofisticadas armas biológicas incubadas em populações específicas com o fim de controlar territórios concretos”.

(com informações do site DefesaNet)


Comentários

MAIS LIDAS

Deputados negociam para votarem a Reforma da Previdência

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Arábia Saudita e Rússia ameaçam romper relações com Brasil. Agora ficou bonito!