MEC assume que errou notas do ENEM. A coisa está feia!

Imagem
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, admitiu neste sábado 18/I que notas do Enem foram divulgadas com erros.
"Encontramos inconsistências na contabilização e correção da segunda prova do Enem", disse ele em vídeo publicado nas redes sociais.
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inpe) liberou na véspera os resultados do exame. Imediatamente, candidatos relataram nas redes seu estranhamento com as notas.
Na manhã deste sábado, a União Nacional dos Estudantes (UNE) comentou a confissão do ministro:

ATENÇÃO!! MEC reconhece #erronoenem

"Assembleia de Deus foi usada para pagamento de propina", denuncia Janot

O ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de acordo com matéria produzida e divulgada amplamente pelo jornal Estadão, teria acusado o ex-deputado federal Eduardo Cunha, um dos homens fortes do MBD de utilizar da Igreja Assembleia de Deus para recebimento de propina sobre uma transação milionária que envolvia a compra de dois navios sondas pela Petrobras. A quantia, segundo Janot, seria de US$ 5 milhões.

A declaração de Janot foi feita em 2015 quando os debates sobre escândalos de corrupção pipocavam na esfera do Poder Central. Cunha era o presidente da Câmara dos Deputados naquela época. O caso ainda permanece sob investigação e levanta suspeitas sobre outros cometimentos de crimes envolvendo denominações religiosas.

Na semana em que o presidente Jair Bolsonaro almeja conceder subsídios sobre a tarifa de energia para templos religiosos, os crimes de corrupção que envolvem lideranças políticas e religiosas começam ganhar espaço na imprensa nacional.

O subsídio que o presidente pretende fornecer para denominações religiosas pode retirar dos cofres públicos cerca de R$ 30 milhões por ano. 




Comentários

MAIS LIDAS

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Arábia Saudita e Rússia ameaçam romper relações com Brasil. Agora ficou bonito!