Angola antecipa pagamento e quita empréstimo com Brasil. E agora?

Imagem
Os empréstimos brasileiros concedidos via BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para os países africanos geraram polêmicas durante o período pré-eleitoral e eleitoral. Vários candidatos utilizaram do argumento para plataforma política e até acusações consideradas infundadas sobre lavagem de dinheiro.
Nesta segunda-feira (9) o Ministério da Economia divulgou nota onde afirma que Angola antecipou o pagamento de todas as parcelas do empréstimo adquirido via BNDES com o Brasil. O dinheiro foi repassado através de parceria entre o governo angolano, a iniciativa privada e o governo brasileiro. 
Angola honrou o compromisso e não deve mais nenhum centavo ao Brasil. Vale ressaltar que o empréstimo rendeu juros aos cofres públicos possibilitando o aumento da receita.

Sabe quanto o Brasil paga para fazer parte da ONU?

A Organização das Nações Unidas (ONU) com sede nos EUA é uma espécie de clube onde reúne representantes do mundo inteiro. São 193 países no quadro da ONU, sendo 51 na condição de sócios-fundadores. O Brasil consta como um desses sócios.

O problema é que para fazer da organização tem custo, e não é pouco. O Brasil tem, atualmente, uma dívida da ordem de US$ 302,8 milhões de dólares, atualmente convertidos em R$ 1,3 bilhão no câmbio de hoje. Há ameaça por parte da entidade caso o país não quite o débito com a tesouraria da ONU.

As informações são do blog de Jamil Chade e fazem parte de um informe financeiro da entidade de março de 2019 e traz um balanço das contribuições feitas pelo país até 2018. As contribuições regulares a organismos internacionais haviam sido interrompidas a partir de 2014, no governo de Dilma Rousseff (PT), e foram retomadas por Michel Temer (MDB) a partir de 2016. Em 2017, o Brasil acumulava uma dívida de US$ 41 milhões em relação ao orçamento regular da ONU. Ao final de 2018, esse valor havia subido para US$ 60,8 milhões. Mas, agora, a dívida voltou a aumentar. Em 2019, nenhum valor ainda foi pago.

A falta de pagamentos representam ainda uma ameaça à diplomacia do país já que o governo poderia ficar de fora da determinação de padrões técnicos ou ainda ser impedido de exportar por questões fitossanitárias.



Comentários

  1. Eu não confio neste Jornalista Jamil Chade, alias não confio em nenhum jornalista de esquerda. Veja se ele estendeu o comentário sobre a Dilma ter deixado de pagar em 2014, só retornando o pagamento em 2016? O que ele busca mesmo é denegrir a imagem do Bolsonaro. Segundo eu já li, ele trabalha dentro de uma repartição da ONU. Então ele deve ter todas as informações, mas por ideologismo tergiversa a verdade.

    Pense. Qualquer duvida "Não" me ligue. Combinado

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência