Bomba-relógio: EUA criaram uma bolha de dívidas maior que 2008. É assustador!

Imagem
Analistas econômicos cada vez mais se lembram da crise financeira de 2008 e advertem que as bolhas podem voltar e arrebentar a qualquer momento. Analista econômico avalia o perigo atual.
Se há mais de 10 anos foi a bolha do mercado imobiliário, agora há outra bomba-relógio: a dívida corporativa, opina o analista econômico Michael Snyder.
“Nós enfrentamos uma bomba de dívida corporativa que é muito, muito maior do que a que enfrentamos em 2008”, disse o autor no seu artigo para TheMostImportantNews.com.
Segundo o analista, as taxas de juros excessivamente baixas da última década permitiram às corporações estadunidenses acumular a maior dívida corporativa da história.
A dívida corporativa total dos Estados Unidos alcançou quase US$ 10 trilhões (R$ 41 trilhão), um recorde de 47% da economia em geral, observa o autor.
No entanto, a dívida total das empresas é na realidade muito maior, se se tiver em conta a dívida das pequenas e médias empresas, as empresas familiares e outras que não est…

Polícia mata mais um inocente. Médico tomou tiro na cabeça

Um vídeo que circula em grupos de WhatsApp mostra o momento da abordagem da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), após o médico endocrinologista Luiz Augusto Rodrigues, 45 anos, levar um tiro na cabeça e morrer na 315 Sul, na madrugada de quinta-feira (28/11/2019).

As imagens registraram o amigo dele, o policial reformado Ringre Pires, pedindo desculpas e dizendo que estava protegendo o médico, que era amigo dele.

O policial aposentado pede perdão e confirma que recebia dinheiro para fazer escolta do médico.

Embriagado e na companha do médico, Ringre teria apontado a arma para a viatura o que provocou revide imediato dos policiais.


Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência