Policial ateia fogo em carro de mulher no Ceará

Imagem
Um policial militar foi preso em flagrante, suspeito de incendiar um carro na cidade do Crato, no Cariri, na madrugada desta quinta-feira (20). 
Ao jornal Diário do Nordeste, a dona do veículo, a ação ocorreu após ela fazer críticas em redes sociais à paralisação de grupos de policiais do Estado. O policial recebeu liberdade provisória após audiência de custódia.
Na saída da delegacia o autor do crime não quis falar com a imprensa. Ele responderá em liberdade.

Pesquisadora lança alerta sobre movimentos violentos no Brasil

“Hoje, vivemos o que considero um tsunami do movimento da direita”, diz a antropóloga Adriana Abreu Magalhães Dias que está preparando um livro abordando grupos neonazistas brasileiros. Ela, fruto de um movimento quase incidental, acabou sendo reconhecida como a maior especialista em movimentos neonazistas no Brasil e diz que as redes sociais criaram as condições favoráveis para a proliferação desses extremistas. “Não é caso de alarmismo. É de alarme”, fala ao entender que com o ressurgimento da extrema-direita a sociedade brasileira está aberta aos discursos de ódio. Todos, segundo ela, “estão podendo falar do assunto com certa tranquilidade”.

De acordo com o mapeamento de Adriana, já são 334 células neonazistas em atividade no país divididas em diversas tendências, atuando em grupos que variam de três a 25 pessoas.

A pesquisadora registra que já começam a surgir células no Centro-Oeste, seis em Goiás, três em Mato Grosso e uma em Mato Grosso do Sul. Ela aponta que as células reúnem entre quatro e cinco mil pessoas, mas que cerca de 500 mil leem material neonazista no país.

Concentrações inicialmente localizadas no Sul e Sudeste fornecem apoio e material para disseminação das ideias.


Comentários

MAIS LIDAS

Deputados negociam para votarem a Reforma da Previdência

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Arábia Saudita e Rússia ameaçam romper relações com Brasil. Agora ficou bonito!