Rodrigo Maia recebe envelope com fezes

Imagem
O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu em seu gabinete como parlamentar, localizado no Anexo IV da Casa, um envelope contendo detritos fecais, há cerca de dez dias. O caso do envelope com fezes está sendo investigado pela Polícia Legislativa da Câmara.
Segundo rumores, o próprio Maia contou a amigos sobre o envelope e pediu que o caso fosse investigado. A informação é que o envelope foi aberto por uma funcionária do gabinete.
Outros deputados teriam recebido envelopes semelhantes em seus gabinetes. Na ocorrência, a Polícia identificou um remetente falso e registrou o conteúdo como “fezes”.

Liberação de cassinos e jogos de azar: parlamentares pressionam

O presidente Jair Bolsonaro recebeu pedido de deputados federais do conhecido "centrão" que cobram dele a liberação para funcionamento de cassinos e a legalização de jogos de azar (jogo de bicho).

Numa reunião informal vários deputados do MDB e outros partidos solicitaram ao presidente que avalie com atenção o projeto que viabiliza a abertura e o registro de cassinos em território nacional. Os deputados afirmam que esse tipo de negócio ajudará na economia atraindo turistas e empresários. 

Há deputados que não aprovam a liberação desse tipo de comércio porque serviria para operar esquemas de lavagem de dinheiro. 

Especialistas em segurança pública também não recomendam que cassinos sejam legalizados no Brasil. Eles garante que o nosso sistema ainda é muito frágil e não conseguirá restringir ilícitos praticados por organizações criminosas.

Bolsonaro recomendou que os interessados na abertura procurem dialogar com membros da bancada evangélica. O tom que o presidente adotou é que a liberação encontrará resistência em razão de ser um jogo de azar o que é considerado pelos cristãos algo errado diante de Deus.




Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência