Angola antecipa pagamento e quita empréstimo com Brasil. E agora?

Imagem
Os empréstimos brasileiros concedidos via BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para os países africanos geraram polêmicas durante o período pré-eleitoral e eleitoral. Vários candidatos utilizaram do argumento para plataforma política e até acusações consideradas infundadas sobre lavagem de dinheiro.
Nesta segunda-feira (9) o Ministério da Economia divulgou nota onde afirma que Angola antecipou o pagamento de todas as parcelas do empréstimo adquirido via BNDES com o Brasil. O dinheiro foi repassado através de parceria entre o governo angolano, a iniciativa privada e o governo brasileiro. 
Angola honrou o compromisso e não deve mais nenhum centavo ao Brasil. Vale ressaltar que o empréstimo rendeu juros aos cofres públicos possibilitando o aumento da receita.

Globo teria recebido R$ 2 bilhões

Romeu Tuma Júnior escreveu em seu livro Assassinato de Reputações que a Polícia Federal é um aparelho ideológico. Tuma Jr. deixa claro à página 73 que "o problema não é a polícia, o órgão de inteligência e o de informações, mas sim como opera a polícia...".

Por que a PF ainda não atuou contra a Globo? Por que a Justiça não avança sobre o caso Mossack&Fonseca que envolve contas no Panamá?


Quem são os donos da empresa Conval, no cartório? Por que a PF não sai em busca do executivo da Globo acusado pela Corte americana no caso #FIFAGATE?

Vejam. Sérgio Cabral destinou R$ 2 bilhões em dinheiro público da conta de publicidade para a Globo. Cabral está preso e a Globo está à vontade.

Cabral destinou R$ 15 milhões para uma exposição de cavalos da empresária da família Onassis. Por quê? Quais relações envolvem esses negócios?

Tuma Júnior deixou bem claro o aparelhamento de determinados órgãos para uso partidário. Não quero acreditar nisso, mas...


Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência