Trump mandará brasileiros ilegais para prisões em outros países

Imagem
O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS) cogita enviar imigrantes brasileiros que cruzam a fronteira do México de volta ao território mexicano enquanto aguardam audiência em tribunais norte-americanos, de acordo com uma autoridades EUA e uma autoridade mexicana a par das conversas.
As deliberações são uma reação ao aumento do número de brasileiros chegando à divisa entre EUA e México para pedir asilo a Washington, disseram as autoridades. O governo do presidente Donald Trump também estuda a possibilidade de enviar brasileiros postulantes a asilo a outras nações, segundo o funcionário norte-americano.
Trump, que busca a reeleição em novembro, fez da imigração um dos argumentos centrais de seu discurso ao eleitores. Durante seu governo, ele criticou os postulantes a asilo e argumentou que a maior parte dos imigrantes que chegam à fronteira carecem de uma justificativa válida para pedir proteção.
(com informações de Reuters)

Mãe vende o filho para pagar dívidas

Uma mãe vendeu os filhos recém-nascidos por 8.235 euros, equivalente a R$ 37.194,20, para pagar as dívidas do cartão de crédito e comprar um celular. Ma, sobrenome da mulher, vendeu os bebês a duas famílias diferentes que viviam a mais de 692 quilômetros da sua casa, em Chinatown.

De acordo com o jornal britânico Daily Mail, a mulher vendeu um dos meninos por 5.698 euros (R$ 25.765,52) e o outro por 2.537 euros, R$ 11.471,94.

Os gêmeos foram vendidos em setembro do ano passado, em Zhejiang, na China, duas semanas depois de nascerem. O caso foi revelado na sexta-feira pela polícia da província de Zhejiang.


A mãe tomou a decisão depois do pai das crianças, Wu, não ter aparecido no hospital para ajudá-la. Ela também não recebeu apoio dos pais.




Comentários

MAIS LIDAS

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Arábia Saudita e Rússia ameaçam romper relações com Brasil. Agora ficou bonito!