Major Olimpio ataca publicamente Bolsonaro

Imagem
O senador Major Olímpio deu entrevista à Rádio Jovem Pan na tarde deste domingo (08) durante os protestos convocados pelos movimentos sociais. Olímpio está no PSL e não quis acompanhar o presidente Bolsonaro para o novo partido Aliança Pelo Brasil.
Olímpio ainda se diz amigo de Bolsonaro porém destacou que o presidente foi insuflado pelos filhos e advogados para embarcar no que classificou como "aventura política" e rotulou a sigla como "Titanic político".




Confira a fala do senador do PSL-SP.



Na minha visão ele(@jairbolsonaro) cometeu um grande equívoco, saiu de um partido 100% dele pra uma aventura chamada aliança, será um Titanic político"@majorolimpio totalmente fora da realidade, não percebeu que quem está no Titanic político é ele.
pic.twitter.com/XXoeXmyXL7 — Sakura 🇧🇷🇯🇵 (@JapaDoBonor0) December 8, 2019

The Guardian reporta que Moro é "repugnante" e ameaça liberdade de imprensa

Sergio Moro segue acumulando cobertura negativa no exterior. O francês Le Monde descreveu “o agora ministro do presidente de extrema direita” como “herói caído da anticorrupção” em título, depois das mensagens reveladas pelo jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept.

O britânico The Independent, citando a ascensão de Jair Bolsonaro como “legado” da Lava Jato, publicou: “E foi Moro, uma figura partidária de direita com ilusões messiânicas, disposta a acabar com o Estado de Direito em busca de seus objetivos, que desempenhou o papel principal de colocá-lo lá”.

O site americano HuffPost, destacando que Moro agora “encara seu próprio escândalo”, fechou extensa reportagem com a avaliação de que “poderia ser um roteiro de Hollywood sobre os perigos do excesso de ambição e de vaidade”.

Ao longo da terça-feira, com o ministro evitando confirmar ou negar que a Polícia Federal —que ele controla— está investigando Greenwald, as reações em mídia social foram de choque. Por exemplo, do correspondente do britânico The Guardian na América Latina: “Assustador”.

No fim do dia, a organização Freedom of the Press Foundation soltou nota, dizendo que o cerco do ministro “não é apenas um ataque ultrajante à liberdade de imprensa, mas um grosseiro abuso de poder”.

E, em nota conjunta, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos se pronunciaram contra as “ameaças, desqualificações e intimidações” ao jornalista. (...)


Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência