Moro escondeu mais do que se pode imginar

Imagem
O TRF-4 precisa dar satisfação ao povo brasileiro sobre a conduta irregular do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.
O traidor da Pátria reconhece a veracidade das mensagens do Telegram divulgadas pelo TheIntecerptBrasil. Quando afirmou que deu palestras e doou o dinheiro pra "caridade", Moro assinou a sua culpa. Além disso, ele tenta esconder o crime que cometeu quando não declarou as palestras que havia dado desrespeitando a resolução do CNJ.
Afinal, pra que serve a estrutura do TRF-4? Depois de tudo que foi revelado até o momento nota-se que Sergio Moro faz pouco caso do órgão.

Sérgio Moro ficou indignado com delegado federal, por quê?

As conversas travadas entre Sérgio Moro e o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, revelam mais sobre a novela de corrupção que virou o que seria a maior operação de combate à corrupção no Brasil. A influência do juiz, naquela época, era tamanha que chegou a decidir sobre as funções e tarefas de um delegado da Polícia Federal.

O jornalista Reinaldo Azevedo em parceria com o IntecerptBrasil descreveu de forma bem detalhada sobre a trama sórdida mantida através do aplicativo Telegram.

Confira abaixo o trecho escrito pelo jornalista:

1: nota-se a clara insatisfação de Moro com o fato de a PF ter anexado aos autos a tal da lista da Odebrecht, que trazia políticos com foro especial. Obviamente, há mais do que o simples temor de provocar a ira de Teori Zavascki. Sem essa divulgação, havia a possibilidade de que tais pessoas continuassem a ser investigadas de modo irregular pela força-tarefa — quando essa era uma competência da Procuradoria-Geral da República —, sob, literalmente, o comando de um juiz de primeira instância, quando tal atribuição era do Supremo;

2: Deltan se oferece para mobilizar a força-tarefa e o Conselho Nacional de Justiça e fala em antecipar uma denúncia — numa clara manipulação do andamento da investigação — para tentar diminuir os contratempos do juiz junto ao Supremo.

3: Se resta evidente que Moro conduzia a mão de Dallagnol, este, por sua vez, mobiliza um delegado da Polícia Federal para expressar a insatisfação do juiz com a decisão tomada pela PF. Há um dado que a muitos esta escapando: o que Moro chama de "tremenda bola nas costas" era apenas de um ato regular da Polícia Federal, que seguia o rito legal.

O conteúdo revela que Sérgio Moro extrapolou o limite legal da atuação de um magistrado.




Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência