TSE cassa mandato da juíza Selma

Imagem
Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, nesta terça-feira 10, cassar o mandato da senadora Selma Arruda (Podemos-MT), conhecida como “Moro de saias” por abuso de poder econômico e caixa dois nas eleições do ano passado. Conhecida como Juíza Selma, a parlamentar aposentou-se da magistratura e concorreu ao cargo pelo PSL.
Com a decisão, novas eleições para o cargo deverão ser convocadas pela Justiça Eleitoral de Mato Grosso, cuja data ainda será definida. A cassação também atinge o primeiro e o segundo suplentes, Gilberto Possamai e Clerie Fabiana. A parlamentar pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar suspender a cassação.

Mulher que abortar poderá ser internada para tratamento psiquiátrico. É o fim!

O Projeto de Lei que pede internação compulsória para tratamento psiquiátrico para mulheres que praticarem aborto é de autoria de um dos líderes do Movimento Brasil Livre, o MLB, que foi tratado pelo ex-juiz Sérgio Moro de "tontos".

A ideia de internação partiu do vereador paulista Fernando Holiday que apresentou à Câmara Municipal de Vereadores, o PL que pode colocar em vias de internação todas as mulheres que passarem pelo procedimento abortivo.

Holiday bem que tentou explicar seu projeto, porém já recebeu uma saraivada de críticas duras da ala feminina e de apoiadores que defendem a liberdade de cada uma fazer aquilo que bem entender.

Ciro Gomes, que saiu candidato na última eleição, esteve nesta manhã em um programa de rádio, em São Paulo, onde foi indagado sobre a ideia do vereador. Ciro, como sempre, foi taxativo. "O Fernando Holiday é um capitão do mato".

O vereador disse que irá processar Ciro Gomes devido a sua declaração considerada por ele ofensiva.

Holiday é um dos apoiadores do governo Bolsonaro.




Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência