Polícia Federal deflagra operação contra "laranjas" usados na campanha eleitoral em 2018

Imagem
A Polícia Federal deflagrou hoje (11/12) a Operação Títeres*, que tem o objetivo de investigar associação criminosa que seria responsável por fraudes e desvios de recursos públicos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha durante o pleito eleitoral de 2018.
Policiais Federais cumprem 06 mandados de Busca e Apreensão em Boa Vista, Roraima. Os mandados foram expedidos pela justiça da 1ª Zona Eleitoral de Roraima, após representação da Autoridade Policial pelas medidas e manifestação favorável do Ministério Público Eleitoral.
As investigações tiveram início após constatação que determinado partido político, em Roraima, obteve um índice de “custo de votos em reais” referente às candidatas ao cargo de deputado federal ou estadual vinte vezes superior à média brasileira.
Com a análise dos dados, a PF identificou candidatas aos referidos cargos que, apesar dos recursos recebidos, obtiveram um número irrisório de votos. Certa candidata teria recebido quase R$ 105.000,00 e obtido apenas 9 v…

O fim do banquete do STF

O STF tem sido alvo de críticas na opinião pública e ganhou mais notoriedade após a publicação do valor orçado para aquisição de alimentos do tipo lagostas, camarões e etc. para compôr o cardápio dos ministros da Corte. A bagatela de R$ 1,13 milhão deixou o povo irritado.

O senador Reguffe (sem partido) considerou que o momento é propício para criação de um projeto de lei com objetivo de regulamentar os gastos com aquisição de alimentos para ministros, senadores e deputados. Ele ainda destaca que não há somente gastos exagerados com alimentação. No ano passado o senador entrou numa batalha para regulamentar e reduzir despesas com aluguéis de automóveis que chegavam a R$ 1 milhão. Conseguiu.

A proposta de Reguffe é que os gastos com alimentação sejam balizados por uma cesta básica com ingredientes do cotidiano da cozinha brasileira.


Comentários

  1. Acho um absurdo isso de ministro fazer o que eles bem quiserem. Acho que tudo que envolve o dinheiro público tem que existir um tipo de controle se não vira isso aí.

    ResponderExcluir
  2. Outra coisa tem que acabar com essa coisa de indicar ministro tem que ser por eleição e mandato de 4 anos sem reeleição

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência