Moro escondeu mais do que se pode imginar

Imagem
O TRF-4 precisa dar satisfação ao povo brasileiro sobre a conduta irregular do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.
O traidor da Pátria reconhece a veracidade das mensagens do Telegram divulgadas pelo TheIntecerptBrasil. Quando afirmou que deu palestras e doou o dinheiro pra "caridade", Moro assinou a sua culpa. Além disso, ele tenta esconder o crime que cometeu quando não declarou as palestras que havia dado desrespeitando a resolução do CNJ.
Afinal, pra que serve a estrutura do TRF-4? Depois de tudo que foi revelado até o momento nota-se que Sergio Moro faz pouco caso do órgão.

Jair Bolsonaro está sob ataque de fogo amigo

Não bastam os ataques de Alexandre Frota, Janaína Paschoal e os próprios membros do #MBL, agora tem mais um parlamentar do PSL que faz declaração polêmica contra o presidente Jair Bolsonaro.

O líder do PSL na Câmara, deputado federal Delegado Waldir, durante entrevista ao Estadão disse que o presidente "criminalizou" o parlamento. Waldir fez alusão à declaração de Bolsonaro sobre os termos "velha política" e "nova política" quando se trata de votar algo na Câmara dos Deputados.

Há informações que alguns parlamentares pressionam o Planalto em busca de cargos e emendas para dar prosseguimento as votações do governo. Bolsonaro nega qualquer tipo de vantagem ou liberação de emendas para aprovação de suas propostas. Sendo assim ele cita o termo "velha política" deixando entender que de agora em diante não mais terá o toma, lá, da, cá.

Waldir ficou ofendido com o fato de o presidente ter rotulado práticas anteriores como sendo "velha política" sugerindo a ideia de erro. As declarações de Waldir ao Estadão não soaram muito bem pelos corredores do Planalto.




Comentários

  1. os dputados vai vota com dim dim na mão to ma la da ca coisa d safadsa..

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência