Policiais disparam contra o rosto de uma mulher

Imagem
Elizangela Moraes, 44 anos, estava sentada em um banco com o namorado no município de Sorriso (MT), a 420 quilômetros de Cuiabá, quando os dois militares viraram uma esquina e efetuaram os disparos. Ela foi baleada no rosto e no pescoço.
Segundo testemunhas, os policiais Ezio Sousa Dias e Webert Batista Ribeiro, ambos de 30 anos, se envolveram em uma confusão em um bar. Os dois foram presos em flagrante. 
O namorada da vítima, Osvaldo Pereira Gomes Neto, disse, no entanto, que não havia confusão. "Eles nem falaram com a gente, não conhecíamos eles. Nós temos que respeitar a polícia em uma abordagem, porque somos pessoas de bem, mas eu pergunto, o que justifica esse tiro?", questiona. Seu relato foi publicado no G1.
(com informações do G1)



Jair Bolsonaro acerta mais uma

Banco não é para fazer campanha publicitária com viés ideológico, esse foi o pensamento do presidente Jair Bolsonaro quando determinou ao presidente do Banco do Brasil que retirasse do ar a peça publicitária da instituição.

O Banco do Brasil havia lançado um mês atrás uma campanha com jovens tatuados, negros e descolados. O material publicitário estava veiculando em rede nacional quando o recado do Planalto chegou até a diretoria de marketing. A ordem é pra retirar do ar.

Bolsonaro acerta quando desconstrói todo tipo de ranço ideológico implícito em peças de estatais. Bancos, principalmente, não devem ser utilizados como veículos de comunicação para sugerir comportamentos e moda. Banco é banco. Um fiador de juros altos, e só.


Comentários

MAIS LIDAS

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Arábia Saudita e Rússia ameaçam romper relações com Brasil. Agora ficou bonito!