Homem de cueca tenta fugir da casa da amante e cai na calçada

Imagem
Um homem que fugia da casa da amante - que é casada - pelas paredes da fachada de um prédio em Maoming (província de Guangdong, China), usando apenas uma camisa e cueca, acabou caindo na calçada abaixo.
O caso viralizou na rede Weibo (equivalente chinês ao Twitter). De acordo com testemunhas, o homem teria fugido após a família da amante retornar inesperadamente ao apartamento. O chinês conseguiu se sustentar por alguns minutos, chegou a fazer uma ligação, mas acabou perdendo a força e despencando por vários andares.
Um vídeo feito de edifício vizinho registrou boa parte da cena. Não há, entretanto, imagens da queda. O material termina com o corpo caído na calçada, cercado por algumas pessoas.

Desembargador vendedor de liminar perde cargo e é condenado a prisão

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou o desembargador Carlos Rodrigues Feitosa, do Tribunal de Justiça do Ceará, a 13 anos, oito meses e dois dias de prisão, em regime fechado, pelo crime de corrupção passiva. Em outra ação penal, ele foi condenado à pena de três anos, dez meses e 20 dias de reclusão pelo crime de concussão.

Feitosa foi denunciado por corrupção, em razão da venda de decisões liminares durante plantões judiciais no Ceará. Como efeito das duas medidas, ele foi condenado à perda do cargo de desembargador. Feitosa estava aposentado compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) desde setembro de 2018.

Investigações

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), entre 2012 e 2013 o desembargador cearense e seu filho, o advogado Fernando Feitosa, integravam esquema criminoso, com o objetivo de receber vantagem ilícita em troca da concessão de decisões de soltura em benefícios de réus presos.

Segundo o MPF, o comércio de decisões judiciais nos plantões de fim de semana era discutido por meio de aplicativos como o WhatsApp, com a intermediação do filho do desembargador.

Ainda de acordo com a denúncia, os valores pelas decisões de concessão de liberdade nos plantões chegavam a R$ 150 mil. Entre os beneficiados pela concessão de habeas corpus, estariam presos envolvidos em crimes como homicídios e tráfico de drogas.


Comentários

  1. este bandido tem de ser banido da justija,junto com seu filho,corruptos,o Brasil está sendo passado a limpo.

    ResponderExcluir
  2. TEM QUE ACABAR A VITALICIDADE NOS CARGOS DOS MAGISTRADOS. QUANDO COMETEM TRANSGRESSÕES DISCIPLINARES GRAVES OU CRIMES, TEM QUE SEREM PUNIDOS COM DEMISSÕES E NÃO APOSENTADORIAS COMPULSÓRIAS. TEM QUE TEREM UM TRATAMENTO DISCIPLINAR IGUAL A DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS.

    ResponderExcluir
  3. ONG Brasileira de Hétero
    Desde 23 de junho de 2011
    NÓS ESTAMOS AQUI


    Norbertto Ferrera, presidente da ONG BH, disse que o servidor público e criminoso de colarnho branco, que atua na alta corte da"JUSTIÇA" TJ, STJ, STFe etc, não deveria ter tratamento diferente do servido comum, e criminoso de colarinho soado.
    Norbertto disse que os servidor público daquela gosam de todo aprarto de defesa e mordomia prova disso, ainda que processado, condenado e sentenciado é aposentados compulsosriamente com salario pomposos, para gastar inclusive no presídio em cela especial. Cambada gananciosos irrecuperáveis, sórdidos !!!
    Norbertto, observa que a proposta do juiz e ministro Sergio Moro, encaminhada a Câmara, federal à apreciação da comissão de justiça e votação é das decisões mas justa e moral capaz de minimizar ou inibir de vez a prática de crimes pernicioso contra a população brasileira

    ResponderExcluir
  4. Se não tiver punição e perda do cargo mais prisão Nao inibira esses Ladrões

    ResponderExcluir
  5. NÃO SEI PORQUE ESTE BANDIDO APOSENTOU-SE, SE FOSSE UM PAIS SEM DESIGUALDADE, PERDERIA APOSENTADORIA. AGORA, COM VENDAS DE SENTENÇA E APOSENTADO, VAI VIVER MARAVILHOSAMENTE.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência