Petrobras garante lucro de US$ 34 bilhões para acionistas americanos. "Amamos a direção da empresa", disseram

Imagem
A diretoria da Petrobras reuniu nesta semana com representantes de bancos e acionistas americanos, em Nova Iorque. O encontro, segundo assessores do banco BTG Pactual, soou como "música aos ouvidos".
Os diretores garantiram que farão uma nova projeção de alta das ações da empresa na Bolsa de Valores e assumiram compromisso em distribuir US$ 34 bilhões em dividendos entre os anos de 2020 e 2024, o que dará um percentual de ganho de 9%.
As medidas adotadas pela estatal levarão mais dinheiro para as contas de agências, bancos e acionistas. 
Na bomba o preço médio do litro de gasolina varia entre R$ 4,28 e R$ 5,15. O que está impactando de forma negativa no mercado consumidor interno.
A informação é do site Moneytimes.



Aumento do diesel puxa o preço do gás e da gasolina. Classe média agoniza no Brasil

O presidente Jair Bolsonaro foi convencido pelo ministro Paulo Guedes autorizar o aumento de preço no diesel. O efeito da decisão foi em cascata. O gás de cozinha em alguns estados beira R$ 120 e o litro de gasolina é comercializado a R$ 5,21.

Bolsonaro tentou barrar a decisão do Conselho Administrativo da Petrobras que decidiu pela alta no diesel porém a equipe econômica liderada por Paulo Guedes, orientou que a interferência traria prejuízos para acionistas. Na Bolsa de Valores o dólar sinalizava em alta e as ações da estatal despencaram com a decisão do presidente em não conceder o aumento.

Os trabalhadores e quem atua no setor de transporte rodoviária reclamam que está completamente inviável manter as contas de casa com os valores praticados pelo governo. Perdas salariais totalizam mais de 45%. A tendência é que ainda ocorram aumentos no preço da energia e demais serviços públicos.


Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência