Pastor admite estupro de menor mas culpa o demônio

Imagem
O pastor de uma igreja na cidade de Gaithersburg, no estado de Maryland (EUA), foi preso nesta quarta-feira (25) após ser acusado de uma tentativa de estupro por uma menina que frequentava o local. Ao ser questionado sobre o abuso, ele afirmou que foi levado a atacar a vítima por 'demônios internos'.
Segundo informações da rede de TV norte-americana NBC, o home, identificado como Octavio Cantarero, de 42 anos, é pastor na Igreja Pentecostal Príncipe da Paz e teria invadido o quarto da jovem, que não teve a idade revelada, enquanto ela dormia.
No depoimento, a vítima afirmou que acordou com Cantarero já em cima dela, mas que conseguiu lutar com ele e fugir do quarto. Após a tentativa de estupro, ele teria tentado abafar o caso e silenciar a garota com alguns presentes, além de prometer que a colocaria em uma escola e até pagaria o aluguel de uma residência, caso ela quisesse se mudar.
Ainda de acordo com a publicação, a menina vivia em um dos quartos da igreja desde o último di…

ESTARRECEDOR! Crianças órfãs de pais vivos. Padres fizeram filhos e filhas pelo mundo

Cerca de 50.000 crianças são órfãs de pais vivos. Os pais desses meninos e meninas são padres que, mesmo exercendo o sacerdócio, furaram o celibato.

Vincent Doyle, cujo pai era um padre católico, fundou um grupo de campanha chamado "Coping International" para reunir os filhos dos padres, que ele diz ter membros em 175 países.

De acordo com o New York Times, Doyle diz que há tantos filhos de padres que o Vaticano tem uma lista de regras para os padres que são filhos de filhos ilegítimos.

Doyle diz que viu um documento detalhando os dogmas quando viajou para Roma como parte de sua campanha. 

Um porta-voz do Vaticano confirmou esta semana que as regras existem - mas insistiu que elas estavam em vigor para a "proteção da criança". 

"Posso confirmar que essas diretrizes existem", disse o porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti, ao New York Times. "É um documento interno." 

Gisotti acrescentou que o princípio fundamental das diretrizes internas era a "proteção da criança". 

Ele alega que, sob as regras secretas, um padre que era pai de crianças foi solicitado a deixar o sacerdócio e "assumir suas responsabilidades como pai, dedicando-se exclusivamente à criança". 

Mas o monsenhor Andrea Ripa, subsecretário da Congregação para o Clero no Vaticano, disse ao jornal que as diretrizes eram mais uma formalidade do que uma ordem. 

Como parte de seus votos, os padres católicos são obrigados a manter uma vida de celibato, abstendo-se de qualquer forma de atividade sexual.

Uma maré crescente de escândalos de abuso sexual envolvendo padres em todo o mundo tem mostrado que esses votos são freqüentemente quebrados, embora haja muitos exemplos de sexo consensual por ministros. 

Uma ladainha de escândalos de abuso sexual infantil abalou a igreja católica, que tem 1,3 bilhão de seguidores em todo o mundo.

Em dezembro, o pontífice prometeu que a Igreja nunca mais trataria as denúncias de abuso sem seriedade e prontidão, pedindo aos agressores que se entregassem à polícia.

O argentino tem lutado para resolver o problema, já que o escândalo constante do escândalo corrói a autoridade da Igreja em meio a divisões agudas em Roma sobre como lidar com as conseqüências, e um aparentemente interminável fluxo de más notícias.

Nos últimos quatro meses, as dioceses católicas dos Estados Unidos divulgaram os nomes de mais de mil padres e outros acusados ​​de abusar sexualmente de crianças em uma contagem pública sem precedentes, estimulada pelo menos em parte por uma chocante investigação do grande júri na Pensilvânia.


Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência