Camargo Correa: explodiu o escândalo da maior de todas empreiteiras

Imagem
O Antagonista revelou dias atrás que a Polícia Federal apreendeu planilhas, contratos e recibos com mais de R$ 11 milhões pagos pela Camargo Corrêa a Márcio Thomaz Bastos e a uma dezena de escritórios de advocacia no âmbito das investigações da Operação Castelo de Areia.
O valor, porém, é quase quatro vezes maior. Em sua delação, Antonio Palocci disse que a Camargo Corrêa pagou um total de R$ 40 milhões.
Nesse valor, estariam os “5 milhões” que o ex-ministro afirma terem sido usados para a compra de uma liminar que travou a operação. Como mostramos em primeira mão, a cifra coincide com dois repasses feitos pela empreiteira logo após duas importantes decisões judiciais sobre o caso.
Segundo Palocci, Thomaz Bastos teria lhe dito que “pagou 5” no exterior, o que criou certa confusão na investigação sobre qual seria a moeda utilizada: dólares ou reais. Com os novos dados, a PF desconfia que não foram US$ 5 milhões, mas o equivalente a R$ 5 milhões na moeda americana.
Como revelamos em ago…

Donald Trump alerta sobre base espacial chinesa na Argentina

Autoridades de defesa dos EUA estão cada vez mais preocupadas com o fato de que as forças armadas chinesas podem monitorar e potencialmente atingir os satélites norte-americanos e aliados a partir de uma nova estação espacial no Hemisfério Ocidental, localizada nos desertos da Patagônia.

Em depoimento amplo perante o Congresso dos EUA em 7 de fevereiro, o almirante Craig Faller, o recém-confirmado comandante do Comando Sul dos EUA, alertou os legisladores sobre a acelerada expansão da China na América Latina. A China não só apóia os regimes autocráticos na Venezuela, Cuba e Nicarágua e emprega práticas de empréstimos predatórios na região, mas também está investindo em infra-estruturas essenciais, como uma instalação de rastreamento espacial na Argentina, disse Faller a legisladores.

As autoridades militares e de inteligência dos EUA têm observado o desenvolvimento dessa instalação específica com um alarme crescente desde o início. Nos últimos anos, uma poderosa antena de 16 andares surgiu do remoto complexo de 200 hectares da província de Neuquén. Mas a estação, que é cercada por uma cerca de arame farpado de 2,5 metros, opera com pouca supervisão das autoridades argentinas, dizem especialistas. A estação terrestre supostamente iniciou suas operações em abril de 2018 .

A China insistiu que o objetivo da instalação é a exploração e observação pacífica do espaço. Por exemplo, diz-se que ele desempenhou um papel fundamental na aterrissagem da China de uma espaçonave no lado escuro da lua em janeiro.

Brian Weeden, especialista em segurança e política espacial da Fundação Secure World, observou que os Estados Unidos implantam antenas semelhantes à da Patagônia em todo o mundo.

"A menos que haja algo especificamente diferente sobre isso, é um pouco da panela chamando a chaleira de preto", disse ele. “Para mim, não há nenhuma evidência específica além de ser chinesa que sinalize que é nefasta.”

Mas os militares dos EUA estão preocupados com o fato de que o radar de grande porte poderia ser usado para outra finalidade: coletar informações sobre a posição e a atividade dos satélites militares dos EUA.

"Pequim pode estar violando os termos de seu acordo com a Argentina para conduzir apenas atividades civis e pode monitorar e potencialmente visar as atividades espaciais dos Estados Unidos, aliados e parceiros", disse Faller, que até recentemente serviu no Pentágono como o principal assessor militar do ex-secretário de defesa James Mattis, disse em seu testemunho escrito ao Comitê de Serviços Armados do Senado.


Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência