Coronavírus no Brasil: Ministério da Saúde nega. Quem acredita no Ministério?

Imagem
Agentes de Saúde, do estado de Minas Gerais, acionaram o sinal de alerta sobre a suspeita de infecção pela bactéria do #coronavírus em uma paciente, que deu entrada com sintomas semelhantes ao que está sendo apresentado na China.
O caso está sendo acompanhando e investigado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), e tratado como 2019-nCoV. A secretaria informou que mais detalhes serão repassados ainda nesta quarta-feira (22).
A idade e a identidade do paciente ainda não foram confirmados. As autoridades chinesas identificaram o novo coronavírus, que resultou em mais de 400 casos confirmados no país asiático. O primeiro caso nos Estados Unidos foi anunciado em 21 de janeiro de 2020.
O Ministério da Saúde nega
O Ministério da Saúde contrapôs a informação prestada pela SES-MG onde afirma que não há comprovação que seja o mesmo vírus. A questão é: quem acredita na informação do governo?
O ano de 2019 foi marcado por desinformação promovida principalmente pelo presidente Jair Bolsonaro e diver…

Política e Poder | Universidade soterrou animais durante demolição. Covardes!

Moradores de imóveis demolidos nesta terça-feira (22) na Ilha do Fundão afirmam que a UFRJ soterrou animais de estimação. Os socorristas Randel Silva e Chris Neri, do Centro de Reabilitação Pata Amiga, afirmam que os moradores não tiveram tempo de pegar seus animais.


As casas, na Praia do Mangue, eram de pescadores que viviam no campus da Cidade Universitária há anos.


“Corri para o local, mas, quando cheguei, já era tarde, estava tudo no chão”, contou o vereador Luiz Carlos Ramos Filho. “Ainda conseguimos resgatar um animal, mas os moradores dizem que havia outros sob os escombros. Foi uma ação muito truculenta”, lamentou.

O que diz a UFRJ


Em nota, a UFRJ afirmou que cumpriu ordem judicial para desocupação da Praia do Mangue e garantiu que retirou os animais antes da demolição. “Foram três cães e dois gatos. Outros estavam soltos”, informou.

Mais denúncias


Em 2018, o Programa Linha Verde, do Dique Denúncia, registrou 4.020 relatos de maus-tratos contra animais. Em 2017, foram 3.104 registros – um aumento de 30%. Entre os relatos estão falta de alimentação, abandono, espancamento e animais presos e acorrentados.


Maus-tratos e abandono de animais são crimes. A Lei 4.731/2008 estabelece multa no valor de R$ 3.608,24 e prevê detenção de três meses a um ano e multa.


Comentários

MAIS LIDAS

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Arábia Saudita e Rússia ameaçam romper relações com Brasil. Agora ficou bonito!