Coronavírus no Brasil: Ministério da Saúde nega. Quem acredita no Ministério?

Imagem
Agentes de Saúde, do estado de Minas Gerais, acionaram o sinal de alerta sobre a suspeita de infecção pela bactéria do #coronavírus em uma paciente, que deu entrada com sintomas semelhantes ao que está sendo apresentado na China.
O caso está sendo acompanhando e investigado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), e tratado como 2019-nCoV. A secretaria informou que mais detalhes serão repassados ainda nesta quarta-feira (22).
A idade e a identidade do paciente ainda não foram confirmados. As autoridades chinesas identificaram o novo coronavírus, que resultou em mais de 400 casos confirmados no país asiático. O primeiro caso nos Estados Unidos foi anunciado em 21 de janeiro de 2020.
O Ministério da Saúde nega
O Ministério da Saúde contrapôs a informação prestada pela SES-MG onde afirma que não há comprovação que seja o mesmo vírus. A questão é: quem acredita na informação do governo?
O ano de 2019 foi marcado por desinformação promovida principalmente pelo presidente Jair Bolsonaro e diver…

Política e Poder | Policiais ameaçam entrar em greve

Entidades ligadas à área de segurança pública no estado – polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros – se reúnem na manhã desta quarta-feira para discutir estratégias contra o pagamento do 13º do ano passado em 11 parcelas, sempre no primeiro dia útil após o dia 20 de cada mês, e a manifestação marcada para a sexta-feira, dia 1º, em frente à Assembleia Legislativa. A categoria não descarta paralisações pontuais, com a redução da escala de trabalho ou a chamada “operação tartaruga”, em que os serviços são executados de forma mais lenta. PM anuncia 'posturas radicais contundentes'. 

Uma assembleia geral dos trabalhadores estava marcada para a tarde desta terça-feira na Cidade Administrativa, mas foi cancelada em razão dos trabalhos realizados em Brumadinho, onde na sexta-feira uma barragem da Vale se rompeu, causando, até o momento, 65 mortes. 

Tão logo o governo mineiro anunciou a escala de pagamento do abono natalino, a Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais (AOPMBM) divulgou nota no site em repúdio à medida. “Essa notícia conseguiu piorar o que já era ruim. Como diz o ditado: 'nada é tão ruim que não possa piorar.' Parece que a Governança não quer enxergar o caos que a medida acarreta. Famílias estão endividadas, com a renda comprometida, problemas de saúde dos servidores decorrentes desta situação e, a desmotivação começa dar sinais no quartéis na prestação da segurança pública”, diz trecho do texto assinado pelo presidente da entidade, coronel Ailton Cirilo da Silva.


Comentários

MAIS LIDAS

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência

Maduro mandar queimar lojas da Maçonaria sob acusação de organização criminosa

Arábia Saudita e Rússia ameaçam romper relações com Brasil. Agora ficou bonito!