Moro escondeu mais do que se pode imginar

Imagem
O TRF-4 precisa dar satisfação ao povo brasileiro sobre a conduta irregular do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.
O traidor da Pátria reconhece a veracidade das mensagens do Telegram divulgadas pelo TheIntecerptBrasil. Quando afirmou que deu palestras e doou o dinheiro pra "caridade", Moro assinou a sua culpa. Além disso, ele tenta esconder o crime que cometeu quando não declarou as palestras que havia dado desrespeitando a resolução do CNJ.
Afinal, pra que serve a estrutura do TRF-4? Depois de tudo que foi revelado até o momento nota-se que Sergio Moro faz pouco caso do órgão.

Por que perdoar? Deus estaria premiando a injustiça?

Carlos estava no trabalho quando decidiu ir até a sua casa pegar uma planilha que não encontrara em sua pasta. Ele saiu apressado porque interrompera a reunião com seus colaboradores. Pegou o carro e em apenas 15 minutos estava em casa. Foi uma tarde muito desagradável.

Casado durante 17 anos, Carlos e Tânia nunca tiveram uma discussão grave. A vida do casal era plena, cheia de alegria, sem grandes problemas financeiros e tudo parecia normal. A realidade mudou quando Carlos abriu à porta de sua casa.

Não foi fácil descobrir a traição de sua esposa!

Como perdoar uma situação dessas? É comum constatar violência entre casais que descobrem casos de traição. O ser humano é quase todo emoção. Entretanto, quando Deus pede na Bíblia para perdoar na verdade Ele está pensando mais em você que foi traído, do que em quem traiu.

Na época de Jesus, o apóstolo Pedro se dirigiu ao Mestre e indagou quantas vezes seria necessário perdoar:

"Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?/ Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete. (Mateus 18:21,22)

Naquela época havia entre eles o costume de que o perdão deveria ser concedido três vezes. A vítima tinha como dever perdoar seu agressor três vezes, ainda que ele persistisse no erro. Tudo era anotado. No tempo de Jesus quando eles queriam superlativizar as coisas, tornar aquilo máximo, eles enfatizavam através da matemática. Por isso, Pedro disse para Jesus "sete" vezes dobrando a quantidade estabelecida e acrescentando mais um.

Pedro queria um elogio.

Jesus leu a mente de Pedro. Percebeu o humano sobrepondo o espiritual. Notou que o perdão não podia ser tratado de outra forma que não fosse um dádiva divina. O perdão é uma cura que não pode se tratada como menos importância.

A resposta de Jesus foi para enfatizar que o perdão precisa ser de maneira perfeitíssima: 70 vezes 7. Por que? Porque o perdão cura enfermidades.  O perdão pode não fazer diferença para o outro, mas faz total diferença na sua vida.

Um livro (CULPA- onde a religião e a psicologia se encontram) americano constatou que 75% das pessoas internadas em um hospital estavam lá por uma causa de ódio guardado, culpa não confessada ou rancor. Casos de câncer, úlceras, dores, todas as enfermidades trazidas pela falta de perdão.

Entende isso? Deus quer trazer paz a sua vida. O perdão nunca foi e nunca será uma premiação injusta para quem cometeu algum tipo de transgressão. Ele é crucial para a preservação da espécie humana. Carregar a bagagem de amargura é muito tóxico. O rancor, raiva e ódio trazem overdose de substâncias que fazem mal ao seu organismo.

Ódio é um veneno que você toma querendo que o outro morra! Por isso Jesus quer livrar você de sofrer em dobro.

O primeiro passo para perdoar alguém é admitir que estar odiando. É admitir o ódio. Acha isso fácil? O ser humano se acha bom demais para admitir que está odiando. O legalismo faz enganar o organismo e transformar a raiva em hipocrisia, e isso consome a pessoa por dentro.

Na conversa entre Pedro e Jesus Cristo sobre o perdão, o mestre deu uma lição bem clara sobre o tema e como Deus age na relação com o homem para lhe oferecer o perdão.

Leia Mateus 18: 23-35. Nessa passagem Jesus conta uma parábola de rei que decidiu acertas contas com seus servos. Um devia 10 mil talentos e não possuía recursos para quitar. O servo implorou e pediu o perdão. O rei se sentiu tocado e perdoou. O servo deixou a presença do rei com sua esposa e seus filhos e foi de encontro a um de seus devedores.

O trabalhador deixou a presença do rei e foi cobrar seus devedores. Maltratou todos eles. O rei soube e mandou chamá-lo. Assim aquele homem foi entregue para ser açoitado até o pagamento da dívida.

Deus é amor, mas também é justiça. O perdão que o homem concede a seu próximo, Deus também concederá a ele em todos os momentos da vida.

Não é fácil! É verdade que não é simples viver esse perdão no dia a dia. Principalmente no mundo moderno onde as pessoas estão enfurecidas, egoístas, cheias de ódio e sem amor retributivo. 

Poucas são as pessoas que retornam para agradecer. Quase ninguém lembra de um perdão recebido e traz de volta um prato de lentilhas para comer juntos. Conheço muita gente que perdoou e hoje reclama que está só.

Carlos e Tânia são nomes fictícios de uma história real. Ele a perdoou. Ambos são amigos e não sofreram com a dor da separação. O ânimos foram controlados. 

Lembre-se: você não está só! É a Deus que o ser humano deve seguir e procurar amar mais que todas as coisas. O Pai que está nos Céus conhece cada um de nós. Ele não deixará de entregar a Seus filhos a eternidade e a bem-aventurança de entrar na Nova Jerusalém.

Aceite o perdão de Deus. Repasse-o. Entregue sua vida nas mãos de Deus e conceda o perdão a seu inimigo. Você verá que quem receberá a cura é você.

Deus te ama!

A Paz do Senhor.




Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência