Moro escondeu mais do que se pode imginar

Imagem
O TRF-4 precisa dar satisfação ao povo brasileiro sobre a conduta irregular do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.
O traidor da Pátria reconhece a veracidade das mensagens do Telegram divulgadas pelo TheIntecerptBrasil. Quando afirmou que deu palestras e doou o dinheiro pra "caridade", Moro assinou a sua culpa. Além disso, ele tenta esconder o crime que cometeu quando não declarou as palestras que havia dado desrespeitando a resolução do CNJ.
Afinal, pra que serve a estrutura do TRF-4? Depois de tudo que foi revelado até o momento nota-se que Sergio Moro faz pouco caso do órgão.

Atitude da China é cumprimento de profecia bíblica

Por causa da forte censura na China, muitas notícias sobre o país vão chegando aos poucos e seguidamente de forma incompleta no Ocidente. Vários relatos de jornais da Inglaterra e da Austrália esta semana mostram que os aplicativos de Bíblia foram proibidos e que as vendas das Escrituras nas livrarias online pararam no final de março.

Autoridades chinesas convocaram uma conferência de imprensa para divulgar um documento que descreve como as crenças e liberdades religiosas são vistas pelo governo. Ele estabelece um controle da literatura que não esteja de acordo com os “valores centrais do socialismo”. Isso se aplicaria à Bíblia.

Intitulado “Políticas e Práticas Chinesas para Proteger a Liberdade de Crenças Religiosas”, o relatório oferece diretrizes sobre como as comunidades religiosas chinesas “devem seguir a direção de tratar a religião de forma nacionalista, praticando os valores centrais do socialismo, desenvolvendo e expandindo as tradições chinesas e explorando ativamente o pensamento religioso que esteja de acordo com as circunstâncias em vigor da China”.

Jesus deixou avisado sobre isso nas Escrituras Sagradas. Veja.

"E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. (Daniel 7:25)

Daniel teve a visão sobre as coisas que aconteceriam no fim dos tempos. Um poder sobre a Terra que mudaria os tempos e a lei. A lei que está nas Sagradas Escrituras, o ensinamento de Jesus Cristo, as orientações de Deus.

A decisão do Partido Comunista, que comanda o país é impedir o livre comércio de Bíblias. Sempre foi relativamente difícil encontrar cópias das Escrituras fora dos grandes centros. Por isso, muitos cristãos apelavam para compras pela internet.

Desde 31 de março não é mais possível encontrar Bíblias nas maiores plataformas de e-commerce da China, incluindo Taobao, Jingdong, Amazon e DangDang.com – que afirma ser a maior livraria online chinesa do mundo.

Haverá guerra contra os filhos de Deus na Terra. Os "santos", aqueles que são separados das coisas mundanas, serão perseguidos, torturados e mortos.

Eu olhava, e eis que este chifre fazia guerra contra os santos, e prevaleceu contra eles. (Daniel 7:21)

O presidente chinês Xi Jinping deixou claro que haveria um aumento na repressão às “religiões estrangeiras”. Para o líder do partido comunista, as religiões só poderiam funcionar se fossem “de matriz chinesa” e que Pequim iria “fornecer orientação clara às religiões para que elas possam se adaptar à sociedade socialista”.

Percebe meu caro amigo(a) que o cerco está se fechando. A maior potência mundial se prepara para disseminar pelo mundo um exemplar falso, não inspirado pelo Espírito Santo, para profanar as coisas de Deus.

Não se assuste. Jesus Cristo nos alertou sobre esse acontecimentos. Ele apenas quer que eu e você vigiemos, oremos e trabalhemos para que mais pessoas sejam alertadas sobre os últimos acontecimentos e a proximidade de sua volta.

Quer estar junto de Deus quando a grande batalha chegar? Prepara-te.

Entregue sua vida a Ele agora. Não espere mais tempo.

A Paz do Senhor!




Comentários

MAIS LIDAS

Aberração | Filhas solteiras de senadores ganham 33 mil reais. "Isso vai acabar", diz Bolsonaro

Goooooool! | Governo decide acabar com auxílio-reclusão

Deputados querem "gorjeta' de R$ 10 milhões pra votarem a Reforma da Previdência